26/06/2012

Bem, sexta eu tomei só mais uns goles de suco.
Quarta eu acordei lá pelas 16h, fomos visitar meus avós maternos.
Lá na cada deles eu tomei um café com um pouco de açúcar e comi meio pedaço de pão francês e uns farelinhos de queijo ralado.
E de noite eu comi acho que meia travessa de pipoca -.-' (não sei quantas Kcal) e um pote inteiro de picles (que tinha 120 Kcal)
Domingo eu comi umas 3 ou 4 colheres de arroz e meio bife de frango empanado (steak), quando levantei, lá pelas 16h de novo.
À noite eu comi uns biscoitinhos e tomei um copo de leite com Nescau.
Mas mais tarde, continuava com fome e daí comi um pacote inteiro de pastelina e um copo de suco em pó. Vomitei tudo depois.

Esse fim de semana fiquei sabendo que um primo-irmão meu está usando drogas. Não sei de que tipo. Meus avós paternos (que são quem cuidam dele, ao invés da minha tia) ligaram pro meu pai e falaram, e minha mãe me contou... Eu fiquei tão triste e gostaria muito de vê-lo, mas ele mora em outro estado. Mas descobri depois que meu pai vai viajar para lá no início do mês que vem e eu pedi para ir junto. Minha irmã mais nova (4 anos) também vai. Minha mãe vai ficar porque ainda não estará de férias. E meus pais disseram que eu posso convidar meu namorado, mas nem sei se quero que ele vá...

Segunda-feira não comi nada durante o dia inteiro. Depois da aula fui pra casa do RCR*, meu namorado. Chegamos e fomos comer. Ele estava meio adoentado e tomou um antibiótico que o médico tinha receitado. Comemos um hambúrguer, mas eu ainda estava com fome, então fui comer arroz, feijã e batatinhas-fritas, mas antes de dar a primeira garfada, meu namorado começou a passar mal. Ele teve uma crise alégica horrível por causa do remédio. Teve um anafilaxia e um bronco-espasmo e não conseguia respirar. Pegamos o carro e fomos direito pra emergência do hospital da faculdade onde estudamos (o tio dele dirigiu, já que ele, obviamente, não tinha como). Fomos além dele, eu, a minha sogra e os tios dele. Chegamos lá eram 23:45h mais ou menos e ele foi medicado, fez vários exames e ficou em observação, no soro e nebulizações intercaladas a noite inteira. Saímos de lá quase 10h da manhã. Assim que eu cheguei lá, tinha vomitado tudo que jantei. Durante a noite tomei dois capuccinos.

Certa hora, tive vontade de chorar, ao observar uma senhora que gemia, solicitando uma quarta dose de morfina.
À todo tempo, gritos e lamentos. E ainda assim, em meio a tanto sofrimento, eu senti prazer ao imaginar-me ali, numa daquelas poltronas azuis reclináveis, semi-desfalecida, subnutrida e praticamente esquelética.
E então, me pergunto: Que doença é essa que me faz desejar meu próprio mal? Que doença é esta que me faz tão carente de um pouco de amor e atenção? Que doença miserável que me faz acreditar que é apenas estando à beira da morte, que apenas às custas de dor e sofrimento extremos é que atingiremos uma perfeição que, na verdade, nem ao menos existe?
Poderia haver uma doença mais perturbadora do que esta que nos faz querer intensamente adoecer cada vez mais, até que a morte chegue para nos libertar deste mundo insano em que vivemos?
Eu sei que esse é um pensamento extremamente egoísta, tanto que frequentemente tenho vergonha de adimiti-lo à mim mesma, mas confesso a vocês... Percebo-me às vezes devaneando faceira sobre como seria se eu ficasse à beira da morte? Meus pais chorariam? Ficariam comigo no hospital? Se importariam? Me culpariam ou teriam pena de mim? Enxergariam-me como a responsável pela desgraça da família ou se compadeceriam da minha dor e me veriam como vítima? E meu namorado? E as outras pessoas que convivem comigo? Ao menos sentiriam minha ausência?

Quando chegamos de volta na casa do meu namorado, pela manhã, comi arroz feijão e batatinhas que estava com desejo desde ontem à noite e depois vomitei tudo. Tomei banho e fui dormir. Comi uma barrinha de chocolate branco de 120Kcal e tomei um pouco de Coca-Cola. Levantamos lá pelas 18h, eu comi um pedaço de bolo, um pão francês com muita nutella e tomei leite com nescau. Vomitei de novo. Meu namorado foi à aula, porque tinha prova, mas eu cancelei a cadeira de hoje, então, estou aqui, esperando ele voltar, ele deve chegar logo, por isso não vou ter tempo de passar no Blog de vocês, acho, entrei aqui rapidinho só pra postar antes que eu esquecesse dos acontecimentos dos últimos dias...

Força à todas ♥

Comentários

  1. Tbm tenho primos que mechem com drogas, espero que seu primo saia dessa é muito perigoso...vc tem toda razão sobre usar camisinha so que eu tenho uma sorte pra camisinha rasgar por isso resolvi tomar o anti e o meu alivio é que não me engorda =] Espero que quando vc for visitar seu primo ele pelo menos pense em melhorar *-* Beijos e força ai lindinha !

    ResponderExcluir
  2. Oiii!!!!!!!!!!! Sempre fico feliz quando vejo comentário seu pra mim ♥
    o negócio das drogas é tenso mesmo .. E a ana então ...É o extremo sofrimento, pq a perfeição que a gente deseja é mto difícil de conseguir e manter.
    Agora eu to com menos neura de gordura,mas tenho muita barriga,me dá desespero sabe. To gostando de malhar e ficar com o corpo definido mas a barriguinha..parece que nunca diminui, :(
    E o caso dos ex namorados é pior. Eu considero esse do post o único que tive,pq foi sério mesmo sabe,não era pura pegação. Sinto falta dele,mas se ele não sente de mim fazer oq né. Sempre lembro de um post seu que fala sobre o amor próprio,então foda-se a luta pelos sonhos! Pq não adianta lutar por alguém q não quer a gente,então vou lutar por mim que ganho mais.
    E desejo a vc força, agradeço pela visita e pelo carinho e se cuida. Cuidado com a Mia,pq ela te faz sofrer muito ... Mas querendo conversar,to sempre aqui
    beijo beijo

    ResponderExcluir
  3. Oie.. estou seguindo flor, adorei seu blog c:
    E eu também sempre penso nisso sabe... como que as pessoas reagiriam se eu morresse, se ficariam aflitos ou aliviados, porque né.. mas enfim, temos de ter força e aceitar isso, certo? Se puder, dá uma passadinha no meu blog... eu ficarei agradecida... beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Olá >.<
    respondi vc lá no meu blog florzinha...mas então vamos ao foco
    sabe vc fez varios questionamentos e eu comecei a pensar sobre eles...apartir do que eu sinto...do que vivi
    Que doença é essa que me faz desejar meu próprio mal? Que doença é esta que me faz tão carente de um pouco de amor e atenção? Que doença miserável que me faz acreditar que é apenas estando à beira da morte, que apenas às custas de dor e sofrimento extremos é que atingiremos uma perfeição que, na verdade, nem ao menos existe?
    Sei lá acho que tudo começa em um momento de fragilidade, vulnerabilidade ... e estamos lá paradas ..sofrendo e chorando..se lamentando e ela se aproxima linda como um refugio, prometendo nos dar o amor que nos falta a atenção que supostamente merecemos em troco dela viver a nossa vida em nós...a perfeição como o único modo de não errarmos ...sendo lindas, magras, inteligentes ...melhores que todos
    duas pessoas vivendo em uma...bipolaridade ..dupla personalidade uma loucura psicológica qm realmente somos? Quem realmente é a Ana? Um anjo ajudador ou um demônio destruidor? Não sei :x
    Nada conclusivo néh! Mas o que é conclusivo além da morte o fim.. vamos deixar rolar
    Xoxo’ lindaa

    ResponderExcluir
  5. Nossa, eu também já me perguntei se algo acontecesse comigo, como seria a minha vida... Se alguém ficaria comigo no hospital cuidando de mim ou se pelo menos alguém ia me visitar...
    Desde criança eu sempre fingi dores de cabeça e até hoje exagero cólicas e crises de sinusite só pra ter mais atenção do meu pai e do meu namorado... Eu sempre tive essa necessidade de atenção então eu enlouqueço quando não tenho atenção e carinho. Fui mimada demais e olha a merda >< Sorte minha que eu nunca precisei ficar no hospital, daí não sei como seria. Sorte tbm porque eu odeio agulhas e me arrepio só de pensar.
    Mas pensando por outro lado... Se eu ficasse fraca por não comer e fosse para o hospital, eu estaria tão fraca e dormente com remédios que mal sentiria as agulhas e poderia quem sabe fazer o meu papel de doentinha carente com muito mais realidade. (que que eu tô falando? D: )

    Mas sério, é essa doença. Não sei o que e isso e o que nos faz pensar assim, mas é culpa dela. Toda essa necessidade de atenção, de querer estar magra mesmo que esteja quase morrendo. À vezes me sinto péssima por ter esses pensamentos mesmo com tanto carinho e cuidado que eu ja tive..

    O lado bom (ou ruim?) de tudo isso é que você está comendo pouco e vomitando.. Tá, vomitar não é legal, mas 'é o que temos pra hoje'. D:
    E quem sou eu pre falar de controle...

    Sobre o seu primo, espero que ele saia dessa. Tomara que essa visita seja boa pra ele e que ele pense no que ele tá se metendo..

    beijos =)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixem seu cheirinho, princesas ♥

Postagens mais visitadas deste blog

30/04/17

12/11/16

02/12/2009